Genoma da esponja do mar revela genes de centenas de milhões de anos

A esponja passa a ser o animal mais primitivo a ter o genoma sequenciado

estadao.com.br,

04 de agosto de 2010 | 18h46

A publicação da sequência completa do genoma de uma esponja marinha viva revela genes com centenas de milhões de anos, dizem pesquisadores. O trabalho está publicado na edição desta semana da revista Nature.

 

A esponja passa a ser o animal mais primitivo a ter o genoma sequenciado e, de acordo com os autores do trabalho, o sequenciamento revela que uma "riqueza genética espantosa" estava disponível na aurora do reino animal.

 

Um dos autores do trabalho publicado na Nature, Kenneth S. Kosik, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, explica que a origem evolucionária dos animais foi marcada pela capacidade de diferentes células assumirem propriedades especializadas e trabalhar em conjunto pelo bem do organismo.

 

"A esponja representa uma janela para esse momento", disse ele, em nota.

 

Ele acrescenta, como exemplo, que embora a esponja não tenha neurônios, seu genoma revela a presença de genes encontrados nesse tipo de célula.

 

O genoma da esponja mostra que, no caminho rumo à emergência dos animais, genes para uma rede completa de células especializadas evoluíram. "Essa rede lançou a base para o núcleo da lógica genética de organismos que não mais funcionavam como células individuais, mas como uma comunidade cooperativa de células especializadas", acrescentou Kosik.

Tudo o que sabemos sobre:
esponjaevoluçãogenomanature

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.