Ginecologia é a especialidade com mais médicos em SP

Estado tem 15% de ginecologistas e obstetras, 11% de pediatras e 7% de clínicos, segundo o Cremesp

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

12 de fevereiro de 2008 | 17h05

Levantamento do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) mostra que 53% dos 92.580 médicos em atividade no Estado têm um ou mais título de especialista. Os demais 47% não têm título de especialista, apesar de, na prática, muitos exercerem especialidades médicas.  Veja a íntegra do levantamento O levantamento mostra que ginecologia e obstetrícia, com 15,6% dos profissionais, é a especialidade com maior número de profissionais registrados. Seguem a pediatria, com 11,7%, a cirurgia geral, 7,1%, a clínica médica, 6,8%, e a cardiologia, com 6,5% dos especialistas.  O levantamento permite comparações como a que revela que há mais homeopatas (0,7%) e acupunturistas (0,4%) do que alergologistas (0,3%) no Estado. Nota do Cremesp lembra que o título de especialista não é obrigatório para o exercício da medicina, mas pode ser obtido após a conclusão da residência médica ou por meio de concurso de título de uma sociedade de especialidade médica. Há 53 especialidades médicas oficialmente reconhecidas.  Homens e mulheres praticamente empatam quando se trata de ter ou não ter título de especialidade: 52,6% das médicas são especialistas registrados, contra 53,2% dos médicos - são 35.511 mulheres e 57.069 homens titulados.  As médicas são  maioria na clínica médica, na ginecologia/obstetrícia, na pediatria e na dermatologia.  Os homens são maioria ma cardiologia, cirurgia geral, medicina do trabalho, ortopedia/traumatologia, e urologia.

Tudo o que sabemos sobre:
cremespsaúdeespecialidade médica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.