Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Governador critica presidente da Federação de Indústrias de Goiás por rechaçar quarentena

Anápolis, no interior goiano, vai abrigar repatriados vindos da China; Caiado chamou posicionamento de monstruoso

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2020 | 23h29

SÃO PAULO - O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), criticou a posição do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), o ex-deputado emedebista Sandro Mabel, por se opor à recepção, no Estado, dos brasileiros repatriados de Wuhan, na China, após a epidemia do novo coronavírus. Pelo Twitter, o governador afirmou que Mabel é "mercenário, canalha e desumano".

Mais cedo, a Fieg divulgou nota afirmando preocupação com a hospedagem dos 34 brasileiros em Anápolis. Segundo o texto assinado por Mabel, "o governo goiano erra ao aceitar a instalação da base de quarentena do coronavírus em Anápolis". Para ele "a população goiana não suportaria outro trauma como o que ocorreu com o acidente com o Césio 137 (em 1987)".

Caiado classificou como "monstruosa" a nota da Fieg. A assessoria da federação afirmou que Mabel não irá se manifestar sobre a resposta do governador. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.