Governo brasileiro faz campanha na África do Sul contra aids

Serão distribuídos 30 mil preservativos e folhetos explicativos sobre prevenção a HIV e DSTs

Efe

30 Junho 2010 | 17h02

SÃO PAULO - O governo brasileiro distribuirá a partir desta quinta-feira, 1º, em várias cidades sul-africanas, cerca de 30 mil preservativos e folhetos explicativos sobre a prevenção à aids e a outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), anunciou nesta quarta-feira, 30, o Ministério da Saúde.

 

A campanha "Marque um gol. Brasil e África do Sul no campo de batalha contra a aids" começará nesta sexta-feira, 2, e terminará em 18 de julho, uma semana após a final da Copa do Mundo.

 

Segundo o ministério, um ônibus percorrerá vários municípios da província de Gauteng, entre eles Johannesburgo, distribuindo preservativos e material informativo sobre o contágio de doenças venéreas e a necessidade de adoção de medidas preventivas.

 

Para essa iniciativa, que tem como alvo prioritário a população jovem, 2,5 mil jovens sul-africanos serão treinados para dar informações sobre as DST. "Aproveitando que seremos sede da próxima Copa, queremos compartilhar um pouco da nossa experiência na prevenção do vírus da aids", disse a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Mariângela Simão.

 

O comunicado oficial do Ministério acrescenta que todos os preservativos que serão distribuídos "foram produzidos no Brasil". Na África do Sul, 18% da população sexualmente ativa vive com HIV, segundo o Programa Conjunto nas Nações Unidas para o HIV e Aids (Unaids).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.