Governo SC
Governo SC

Governo de Santa Catarina decreta estado de emergência e fecha serviços não essenciais

O conjunto de medidas entrou em vigor nesta quarta-feira e tem validade de sete dia

Mariana Hallal, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 17h23

SÃO PAULO — O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), decretou situação de emergência no Estado devido ao avanço do novo coronavírus. O conjunto de medidas entrou em vigor nesta quarta-feira, 18, e tem validade de sete dias.

Estão suspensos os serviços públicos e privados não essenciais, a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro e a circulação de veículos de transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros no Estado. Os ônibus interestaduais podem seguir passando por Santa Catarina, mas não estão autorizados a embarcar ou desembarcar passageiros. As consultas ambulatoriais e os exames eletivos também estão suspensos na rede pública.

O documento especifica que seguem abertos, como serviços essenciais, as farmácias, os supermercados, as unidades de saúde, os postos de combustíveis, as funerárias, as distribuidoras de água, gás e energia, as clínicas veterinárias de emergência, os serviços de telecomunicações, os órgãos de imprensa, os serviços de segurança privada e a coleta de lixo. No setor público, as secretarias de Segurança Pública (SSP), Saúde (SES) e Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) seguem funcionando, além da Defesa Civil. Os aeroportos catarinenses permanecem abertos. 

O decreto também proíbe a realização de eventos e reuniões de qualquer natureza, tanto público quanto privado, pelo período de 30 dias. Incluem-se excursões, cursos presenciais, missas e cultos religiosos.

Santa Catarina tem sete casos confirmados de coronavírus e há transmissão local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.