Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Grande SP e cinco regiões passam para fase amarela do plano de flexibilização da quarentena

Dez regiões tiveram melhora e foram reclassificadas para fases mais flexíveis; região de Araraquara regrediu para fase vermelha

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2021 | 12h55

   

SÃO PAULO - O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira, 5, durante a apresentação da reclassificação do Plano São Paulo, que a Grande São Paulo e outras cinco regiões do Estado avançaram para a fase amarela, que permite mais flexibilidadae para o funcionamento de estabelecimentos, como comércios, restaurantes e shoppings diante do cenário da covid-19.  Na 21ª classificação, outras quatro regiões passaram para a fase laranja e apenas Araraquara regrediu para a fase vermelha. As regiões entram na nova etapa a partir deste sábado, 6.

Além da Grande São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Registro, Presidente Prudente e Araçatuba foram reclassificadas para a fase amarela.

"Tivemos melhora nos indicadores de dez regiões. Todos os serviços que podiam funcionar na fase laranja podem funcionar na amarela, mas ganhando duas horas, funcionando até 22 horas. Cada gestor pode organizar para funcionar 12 horas. Depois das 22 horas, somente serviços essenciais podem funcionar. Barretos, Ribeirão Preto, Marília e Taubaté passam para fase laranja e Araraquara passa para a fase vermelha", diz Patrícia Ellen, secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico.

Na última atualização, 11 regiões estavam na fase laranja, entre elas: Grande São Paulo, Baixada Santista e Campinas. Outras seis estavam na fase vermelha, a mais restrita.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, no dia 21 de janeiro, a média de leitos de UTI ocupados no Estado de São Paulo era 71,6% e, agora, passou para 67,2% . Na Grande São Paulo,  a ocupação de leitos de UTI é de 66%. "A maior parte das regiões de São Paulo está evoluindo."

Na coletiva, foi informado que o Estado registrou queda de casos do novo coronavírus, mas aumento de mortes. "Estamos na quinta semana epidemiológica e pudemos ver que as medidas estabelecidas pelo Plano São Paulo colaboraram para reduzir os índices com flexibilização segura. Tivemos queda de 11% dos casos e aumento de 4% óbitos", afirma o secretário de Estado da Saúde Jean Gorinchteyn.

Segundo balanço divulgado na coletiva, São Paulo contabiliza, desde o início da pandemia, 1.833.163 pessoas infectadas e 54.324 mortos pela covid-19.

Na última quarta-feira, 3,  o governador João Doria (PSDB) anunciou a suspensão do fechamento de bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais aos fins de semana nas classificadas na fase laranja do Plano São Paulo. A medida tinha desencadeado protestos e críticas do setor às restrições. Entre segunda e sexta-feira, o funcionamento continua restrito das 6h às 20h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.