Marcelo Chello/Estadão
Marcelo Chello/Estadão

Governo de SP define datas para a vacinação de idosos entre 65 e 67 anos contra a covid-19

Pessoas com 67 anos começam a ser imunizadas no dia 14 de abril; já os que têm 65 e 66 anos poderão tomar a vacina a partir de 21 de abril

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2021 | 12h44
Atualizado 07 de abril de 2021 | 14h50

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, João Doria, anunciou na tarde desta quarta-feira, 7, as datas para o início da vacinação de idosos com idades entre 65 e 67 anos contra a covid.

De acordo com o governo paulista, pessoas com 67 anos começam a ser imunizadas no dia 14 de abril. O grupo é formado por cerca de 350 mil pessoas. Já os paulistas que têm entre 65 e 66 anos poderão tomar a vacina a partir de 21 de abril. A estimativa é imunizar 760 mil pessoas dessa faixa etária.

Já havia sido anunciado o início da imunização de profissionais da educação básica para o dia 12 de abril. Na primeira etapa, só trabalhadores a partir dos 47 anos poderão ser vacinados.

De acordo com o governo paulista, o cumprimento do cronograma depende da entrega de lotes da vacina de Oxford/AstraZeneca pela Fiocruz ainda nesta semana. A promessa da fundação é liberar 18 milhões de doses do imunizante para todo o País neste mês.

Na manhã desta quarta, o Instituto Butantan, que produz a Coronavac no Brasil, entregou mais 1 milhão de doses da vacina ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), totalizando 38,2 milhões de doses já distribuídas desde janeiro.

Para cumprir o acordo com o Ministério da Saúde de entregar 46 milhões até o final de abril, o instituto aguarda a chegada de ingrediente farmacêutica ativo (IFA) vindo da China. A remessa está atrasada, mas é esperada para a próxima semana, afirmou o diretor do Butantan, Dimas Covas.

"São 6 mil litros de IFA, suficientes para a produção de 10 milhões de doses. A chegada estava prevista para esta semana, mas agora esperamos para a próxima semana. Estamos fazendo todo um movimento junto à Sinovac, e o governador, junto ao embaixador da China", disse Covas.

Ele afirmou que o atraso se deve a questões burocráticas já que o insumo em si já está pronto, esperando o despacho. "Estamos aguardando um desembaraço de documentação", afirmou o diretor do Butantan.

Doria disse que o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, se comprometeu a conversar com as autoridades chinesas em Pequim para agilizar a autorização do embarque dos insumos. 

O governo paulista anunciou ainda que, a partir de agora, é possível fazer o pré-cadastro para a vacinação pelo Whatsapp. Para isso, os interessados devem enviar uma mensagem para o número (11) 95220-2923 ou acessar esse link e seguir o passo a passo. 

Além da ampliação da vacinação para mais faixas etárias, o governador também anunciou a compra de 2 mil cilindros e mil concentradores de oxigênio, aparelhos que funcionam como mini-usinas do gás. Os equipamentos já começaram a ser entregues. A distribuição deverá ser finalizada até o fim de abril.

Programa social oferecerá auxílio de até R$ 500

O governador também anunciou a criação de um novo programa de auxílio financeiro, chamado Bolsa do Povo. Ele possibilitará a unificação de programas já existentes, como o Renda Cidadã e o Bolsa Trabalho, a ampliação do valor investido e a criação de programas novos.

"Estamos ampliando o valor investido nos programas sociais para R$ 1 bilhão. Para isso, precisaremos de um crédito aberto na Assembleia Legislativa", explicou o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia. O projeto de lei será enviado ainda nesta quarta-feira à Alesp.

"O Bolsa do Povo vai beneficiar meio milhão de pessoas direta ou indiretamente, com repasses de até R$ 500 por pessoa", afirmou Doria.

Um dos novos programas que entrará no guarda-chuva do Bolsa do Povo será o pagamento de um auxílio de R$ 500 a pais e mães de alunos da rede estadual para atuarem nas unidades de ensino onde os filhos estudam. Até 20 mil pessoas poderão ser contratadas por meio da iniciativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.