Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Governo determina envolvimento de Forças Armadas em logística de vacinação

Os militares já prestam auxílio na campanha de vacinação contra o coronavírus, principalmente no transporte de equipes de saúde e na distribuição de vacinas contra a covid nas comunidades indígenas.

Amanda Pupo e Wagner Freire, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2021 | 13h39

BRASÍLIA - Na semana marcada pela maior crise nas Forças Armadas brasileiras desde 1977, o presidente Jair Bolsonaro determinou que os militares tenham maior envolvimento na aplicação das vacinas contra a covid-19 no Brasil. "Por determinação do presidente, que está pessoalmente empenhado, teremos apoio das Forças Armadas, seja na logística de distribuição, no corpo técnico da Saúde, ajudando Estados e municípios a vacinar a população brasileira", afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, neste sábado, 3 . Segundo o médico, o assunto foi conversado entre ele, Bolsonaro e o ministro da Defesa, Walter Braga Netto.

O presidente já havia comentado brevemente sobre o assunto durante uma transmissão ao vivo que fez nas redes sociais neste sábado. "Estão à disposição para começar também a vacinar. Praticamente todos os quartéis do Brasil têm essa condição", disse Bolsonaro ao lado do novo ministro da Defesa.

Atualmente, os militares já prestam auxílio na campanha de vacinação contra o coronavírus. Uma notícia publicada pelo governo em fevereiro, por exemplo, destaca que os Comandos Conjuntos das Forças Armadas "permanecem apoiando" o transporte de equipes de saúde e a distribuição de vacinas contra a covid nas comunidades indígenas.

Ao falar sobre o assunto, Queiroga reconheceu que essa ajuda já existe. "Participação das Forças Armadas já existe nos programas de imunização, é só ampliar, logística, parte operacional", disse o ministro. 

O Estadão/Broadcast procurou o Ministério da Defesa para obter mais detalhes, mas não houve resposta até a publicação deste texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.