Governo determina que vacina contra HPV custe R$ 364

Depois de três meses em estudo, o preço da vacina para o HPV (vírus responsável por 70% dos casos de câncer de colo do útero) acaba de ser definido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão do governo federal que regula os preços dos remédios no País: R$ 364,16, a dose. A Merck, laboratório fabricante, entrou com recurso contra o valor. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Merck poderá, mesmo com o recurso, ainda optar por vender ou não o produto, chamado Gardasil, por esse preço. O laboratório irá se manifestar só nos próximos dias. O valor determinado pelo CMED é cerca de metade do que havia pedido o laboratório - entre R$ 500 e R$ 700 a dose. Enquanto isso, a vacina da Merck está prestes a ganhar um concorrente mundial. A Cervarix, da GlaxoSmithKline, deverá ser aprovada pela Anvisa em maio - a previsão é do próprio laboratório, que entrou com pedido de autorização na Anvisa em maio de 2006. A agência sanitária européia (Emea) deve aprovar a vacina para o mercado europeu em março. O preço não foi definido. As duas vacinas são excludentes, ou seja, a paciente terá de optar por uma delas, e têm diferenças significativas. A principal delas é em relação à faixa etária indicada. Para 2006, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) esperava 20 mil novos casos de câncer de colo de útero no Brasil. A letalidade da doença fica em torno de 50%. A contaminação do HPV pode ocorrer em qualquer tipo de contato com a área genital, mesmo oral ou por manuseio - os homens atuam como vetores da doença. Na maioria das vezes a infecção não tem sintomas. O HPV pode ser detectado pelo exame ginecológico papanicolau.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2007 | 09h15

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.