Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Governo do DF fará reabertura de comércio em 3 de maio; escolas continuam fechadas até dia 31

Nos próximos dias, o governo da capital federal vai aumentar os testes feitos em hospitais, de 600 exames por dia para cerca de 2.000 mil testes diários

André Borges, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2020 | 20h24

BRASÍLIA - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disse que o comércio poderá reabrir suas portas a partir do dia 3 de maio. Para isso, no entanto, haverá algumas condições de higiene e proteção, além de restrições específicas.

Ao Estado, Ibaneis disse que cada comércio precisa garantir o teste de covid-19 de cada um de seus funcionários. Além disso, precisa oferecer máscaras e álcool geral para todos os clientes que atender, além dos funcionários.

"Medidas específicas estão sendo negociadas com os setores de shoppings e academias, por causa de maiores aglomerações", disse Ibaneis. "Uma praça de alimentação, por exemplo, pode vir a ter restrições para entrega de comida, em vez do consumo local", comentou.

Em relação às escolas públicas e privadas, o prazo de fechamento permanece de 31 de maio. Há cerca de 600 mil alunos com aulas paralisadas. O DF foi o primeiro local no Brasil a decretar a suspensão das escolas.

Até agora, o Ministério da Saúde tem reafirmado que o pico do coronavírus tem previsão se atingido entre o fim de abril e início de maio entre as cidades com maiores números de casos. Esse prazo pode se estender para junho ou julho, dependendo da região. Ibaneis diz que a situação tem sido acompanhada diariamente e que há espaço para reativar o comércio.

"Acreditamos que seja mais prudente retomar o ensino somente em junho. Estou monitorando isso diariamente com minha equipe técnica. Quero a abertura dos comércios, mas tudo tem que se feito com bom senso. Vamos avaliar o comportamento da população", disse Ibaneis. "O comércio deve se preparar para comprar equipamentos de segurança e proteção. Vão ter que comprar máscaras para funcionários e usuários, além de fazer testes em todos os funcionários."

O DF tem hoje mais de 500 leitos de UTI à disposição de pacientes de covid-19, mas segundo Ibaneis, apenas 18 pessoas estão em situação grave e ocupam esse espaço. Além disso, o DF conclui nos próximos dias a construção de um hospital de campanha, na estrutura do estádio Mané Garrincha.

Questionado sobre a saída de Luiz Henrique Mandetta e a escolha de Nelson Teich ao Ministério da Saúde, Ibaneis disse apenas que não conhecia o novo ministro, mas que tem uma "boa impressão". "Estava vendo o currículo dele, parece uma pessoa bem preparada."

Nos próximos dias, disse Ibaneis, o governo da capital federal vai aumentar os testes feitos em hospitais, de 600 exames por dia para cerca de 2.000 mil testes diários. Paralelamente, o Palácio do Buriti vai iniciar a distribuição gratuita de 1 milhão de máscaras, que adquiriu junto à Federação das Indústrias de Brasília. As peças serão entregues em ônibus e metrô. "Cada passageiro vai receber duas máscaras", disse o governador.

Nesta quinta-feira, 16, o DF atingiu 727 casos de covid-19 e 20 mortos. Dos casos confirmados, 432 (59%) são do sexo masculino, com mediana de idade de 42 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.