Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Governo do DF limita horário de funcionamento de bares e restaurantes até 23h para frear covid-19

Medida restritiva foi tomada por meio de decreto após o governo ter observado tendência de aglomeração nos estabelecimentos

Sandra Manfrini e Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2020 | 15h12

   

BRASÍLIA - O governo do Distrito Federal decidiu nesta terça-feira, 1, que bares e restaurantes só podem funcionar até as 23h. A medida visa “conter a disseminação da covid-19 e garantir o adequado funcionamento dos serviços de saúde”, segundo decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). Antes não havia limite para funcionamento destes estabelecimentos.

O último Boletim Observatório Fiocruz covid-19, divulgado na última sexta-feira, 27, coloca o DF entre as oito unidades da federação que registraram taxas de mortalidade “mais elevadas” pela pandemia em análise feita com dados de 8 a 21 de novembro.

O DF foi o primeiro entre as 27 unidades da federação do Brasil a adotar medidas de isolamento para restringir a circulação de pessoas contra a covid-19. No dia 11 de março, Ibaneis suspendeu aulas e proibiu eventos. No fim de junho, porém, o governador anunciou um forte recuo, com retorno de diversos serviços. Em entrevista ao Estadão, à época, ele afirmou que "restrições" já não serviam para nada, pois se havia se esgotado o "limite" da população. “(O serviço de saúde) Vai lotar nada. Vai ser tratada como uma gripe, como isso deveria ter sido tratado desde o início", disse Ibaneis.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o DF e o Rio de Janeiro apresentam 131 mortes a cada 100 mil habitantes, a maior taxa do País. A média brasileira é de 81 mortes sob este mesmo recorte.

Em nota, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF) diz ser contra o fechamento de serviços e promete “reforçar os protocolos de segurança”, além de promover campanhas de conscientização. O mesmo comunicado apresenta opiniões contrárias ao fechamento de atividades a partir das 23h, como do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar-DF).

SP e RS também fizeram restrições

Nesta segunda-feira, 30, foi anunciado que todo o Estado de São Paulo vai entrar na fase 3 (amarela) do plano de flexibilização da quarentena para o novo coronavírus, o que significa uma regressão para 11 regiões, inclusive a capital, que estavam na fase 4 (verde), menos restritiva. As medidas começam a valer a partir da próxima quarta-feira, 2.

Assim, comércio, bares, restaurantes, academias e eventos culturais terão mais restrições, principalmente no que se refere à capacidade para público e horário de funcionamento. 

As principais diferenças da fase 3 (amarela) em relação à fase 4 (verde) estabelecem que a maioria dos setores reduza o atendimento de 60% para 40% da capacidade total, funcionem por apenas 10 horas e até as 22 horas, no máximo.

Bares e restaurantes continuam permitidos a atender presencialmente, mas para apenas 40% da capacidade total do estabelecimento, que pode ficar aberto até 23 horas, mas precisa encerrar o serviço às 22 horas.

No Rio Grande do Sul, entrou em vigor nesta terça-feira, 1º, um decreto estadual que restringe o funcionamento do comércio, bares e restaurantes e que suspende festas de fim de ano, inclusive em condomínios.

Conforme o decreto estadual, o comércio poderá operar somente até às 20h. Já os restaurantes e bares ficarão abertos até as 22 horas, com clientes sentados, com distanciamento de dois metros entre uma mesa e outra e sem música ao vivo. Os estabelecimentos que trabalham com delivery terão de encerrar as atividades até 23 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.