Mariana Bazo/Reuters
Mariana Bazo/Reuters

Governo do Peru exige de Yale devolução de peças de Machu Picchu

O Peru diz que a Universidade Yale, nos Estados Unidos, ficou com cerca de 40.000 artefatos

REUTERS, REUTERS

28 Setembro 2010 | 16h33

O presidente do Peru, Alan Garcia, exigiu que a Universidade Yale, nos Estados Unidos, devolva os tesouros arqueológicos que seus cientistas" saquearam" de Machu Picchu no início do século passado.

 

O Peru diz que Yale ficou com cerca de 40.000 artefatos, incluindo cerâmica, joias e ossos do sítio arqueológico dos Andes peruanos.

 

"Ou chegamos a um entendimento... ou simplesmente teremos de descrevê-los como saqueadores de tesouros", disse Garcia, referindo-se à universidade.

 

Os artefatos foram remetidos para fora do Peru depois que um ex-aluno de Yale, o explorador Hiram Bingham, redescobriu Machu Picchu em 1911. O país andino alega que os objetos foram emprestados a Yale, mas nunca devolvidos.

 

Antes que Bingham chegasse à cidade antiga, que hoje é um importante centro turístico, o local estava praticamente esquecido, coberto por mata nas montanhas a 2.400 metros de altitude.

Mais conteúdo sobre:
machu picchu arqueologia peru

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.