Wilton Junior/ Estadão
Wilton Junior/ Estadão

Governo do Rio vai submeter passageiros vindos da Índia a testes de covid no aeroporto

Iniciativa em conjunto com a Anvisa tem o objetivo de impedir a disseminação da variante originalmente identificada na Índia. Morador de Campos dos Goytacazes, no interior do Estado, teve a infecção pela cepa confirmada

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 17h46

RIO - A partir desta terça-feira, 1, passageiros que tenham passado pela Índia e desembarquem nos aeroportos do Rio de Janeiro serão obrigados a se submeter a teste rápido de covid-19. Quem testar positivo será isolado em um hotel no município do Rio e submetido a outro teste, mais demorado e preciso. As amostras serão encaminhadas para sequenciamento genômico e identificação da variante.

A aplicação dos testes é uma iniciativa da secretaria estadual de Saúde em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para tentar impedir a disseminação da variante indiana do coronavírus. 

Um homem que mora em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, passou pelo aeroporto do Rio na semana passada, após viajar a trabalho para a Índia, contaminar-se com a variante indiana do coronavírus e desembarcar no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (região metropolitana de SP). Ele está isolado, e as pessoas que tiveram contato com ele estão sendo monitoradas. Até a tarde desta terça-feira não havia nenhuma outra confirmação de contaminação pela cepa indiana no Estado do Rio.

Como não existem voos diretos entre o Rio de Janeiro e a Índia, o monitoramento dos passageiros é realizado pela Anvisa, que controla todos os voos que chegam ao Brasil vindos da Índia, verifica se algum passageiro pretende pegar um voo doméstico para o Rio de Janeiro e, em caso positivo, alerta os agentes da secretaria estadual de Saúde do Rio para que identifiquem o passageiro e o submetam a teste assim que desembarcar no Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, ou no Galeão, na Ilha do Governador (zona norte). 

Se o passageiro testar positivo, será isolado e monitorado pela Superintendência de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, da secretaria estadual de Saúde, em parceria com a Vigilância municipal.

“Estamos em contato com a Anvisa, que é responsável pelas vigilâncias em portos e aeroportos, e fechamos com o Ministério da Saúde uma ação dentro dos aeroportos do Galeão e do Santos Dumont. Receberemos a lista de passageiros vindos da Índia que embarcarem em São Paulo com destino ao Rio. Nossa preocupação é com essa nova variante. Essas medidas buscam diminuir as chances de entrada dessa cepa no Rio de Janeiro”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.