Elza Fiuza/ABr
Elza Fiuza/ABr

Governo investirá R$ 7 mi em pesquisa e qualificação em saúde

Programa dos ministérios da Saúde e Educação distribuirá mil bolsas para estudantes e profissionais de medicina

Agência Brasil,

03 Março 2010 | 14h50

O Ministério da Saúde (MS), em uma ação conjunta com o da Educação (MEC), vai investir R$ 7 milhões na distribuição de mil bolsas para a produção de pesquisa e qualificação do ensino em medicina. Os recursos serão destinados ao Programa de Educação para o Trabalho em Saúde (PET-Saúde - Vigilância em Saúde) e ao Apoio ao Internato Médico em Universidades Federais (Pró-Internato), lançados nesta quarta-feira, 3, pelos ministérios.

 

O PET-Saúde vai investir R$ 4 milhões em pesquisas sobre o perfil da saúde no Brasil, sob as perspectivas das necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS). O Pró-Internato terá R$ 3 milhões, destinados à qualificação dos formandos em medicina, por meio de concessão de bolsas para o estágio supervisionado.

 

Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a parceria entre as duas pastas é fundamental para incorporar novas tecnologias aos serviços na área. "Para o campo da saúde, essa proximidade, essa sintonia com o MEC, é fundamental. A saúde, diferentemente de outras áreas, é marcada por incorporar tecnologia, e cada vez mais precisa de pessoas qualificadas para operar essa tecnologia a serviço da saúde da população brasileira", destacou o ministro. "A base do sistema deve ser uma rede sólida de alta qualidade de atenção básica em saúde profundamente integrada com a vigilância, com a educação, com a formação", completou.

 

O ministro da Educação, Fernando Haddad, também destacou a importância da atuação conjunta das pastas. "Se nós levarmos em conta todas as etapas de formação, capacitação e até assistência, estamos mais juntos hoje do que já estivemos."

 

O valor das bolsas para professores e profissionais de saúde é de R$ 1.045,89 e para alunos é de R$ 300. As universidades interessadas em participar dos programas devem apresentar propostas até o dia 30 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.