Governo lança ação anti-Aids com foco em sexo entre homens

O Ministério da Saúde apresentounesta terça-feira um plano de ações para conter os casos deAids entre homens que mantêm relações sexuais com homens, gayse travestis. "O plano surgiu do reconhecimento de que existemvulnerabilidades específicas que contribuem para que essesgrupos estejam mais suscetíveis à infecção pelo HIV,apresentando taxas de prevalência superiores às encontradas napopulação em geral", disse a diretora do Programa Nacional deDST e Aids, Mariângela Simão, em comunicado. Segundo pesquisas sobre comportamento sexual do Ministérioda Saúde, gays e homens que fazem sexo com homens possuem 11vezes mais risco de serem infectados pelo HIV do que homensheterossexuais. Fazem parte do plano, que prevê ações até 2011, a reduçãode vulnerabilidades ligadas à orientação sexual, a garantia doacesso à prevenção da Aids, a ampliação de informações sobreessa população e a realização de ações nas três esferas degoverno. Um ação educativa, com distribuição de 100 mil cartazesadesivos e 500 mil folhetos com informações sobre doençassexualmente transmissíveis (DST), Aids e o uso correto dopreservativo, também foi lançada para esse público específico. "É preciso reconhecer que é uma vitória para a comunidadegay e lésbica brasileira a criação de uma campanha específicado Ministério da Saúde para essa população", disse o presidentedo Grupo Arco-Íris, Claúdio Nascimento. "E não vejo comoprocesso de estigmatização da população, pelo contrário, é dereconhecimento de que existe uma demanda de saúde que até entãovinha sendo respondida de forma incipiente", afirmou. Segundo dados do governo, houve um crescimento dopercentual de casos de Aids entre homossexuais e bissexuais de13 a 24 anos de idade, variando de cerca de 24 por cento, em1996, para aproximadamente 41 por cento, em 2006. (Por Maria Pia Palermo, com reportagem de ReutersTelevision)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.