Reprodução
Reprodução

Governo muda formulário de consulta pública sobre vacina para crianças após problemas

Questionário foi transferido do Microsoft Forms para a plataforma Gov.br, do próprio governo federal, mas segue apresentando instabilidade

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2021 | 15h09

BRASÍLIA - Após a criticada consulta pública sobre a exigência de receita médica para vacinação de crianças ter parado de funcionar menos de 24 horas após o lançamento, o Ministério da Saúde informou na tarde desta sexta-feira, 24, que migrou o formulário de questões do Microsoft Forms para a plataforma Gov.br, do governo federal. A página do questionário, entretanto, segue apresentando instabilidade, mesmo após a troca de endereço. 

Ainda pela manhã, a consulta sobre a vacinação da covid-19 para crianças de 5 a 11 anos parou de aceitar contribuições. Diferentemente de outras ações do tipo, o formulário havia sido criado fora de uma plataforma federal e não exigia validação para as respostas, como informar um CPF ativo, por exemplo. O usuário que tentava responder recebia ao fim a mensagem "O número máximo de pessoas já respondeu a este formulário".

"O Ministério da Saúde informa que, devido ao grande interesse da população na consulta pública sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos, foi necessária a migração para a plataforma Gov.br, que já possui a base do cadastro dos brasileiros", publicou a pasta no twitter. "As participações já registradas no sistema serão avaliadas e também serão objeto de análise pela área técnica. As contribuições podem ser feitas até 2 de janeiro por meio do link: https://gov.br/participamaisbrasil/opine", completou o ministério.

Apesar da consulta pública, o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) garantiu hoje que nenhum Estado exigirá prescrição médica para a vacinação infantil contra a covid-19. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos de idade no último dia 16, mas ainda não há data para o início da imunização desse grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.