Governo prepara estratégia para fortalecer produção de remédios

Os Ministérios da Saúde e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) preparam uma estratégia para fortalecer a produção de remédios, insumos e equipamentos de saúde no País. Dentro de 60 dias, o governo deverá divulgar uma lista com produtos considerados estratégicos alvo de políticas de incentivo para produção. "A política social brasileira apresenta uma grande vulnerabilidade: o descompasso da balança comercial no setor de saúde", afirma o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. A diferença entre o que o País importa e exporta nessa área é de US$ 5 bilhões. Na década de 80, as contas também não fechavam, mas o déficit era bem menor - US$ 600 milhões anuais. "Se algo não for feito, a tendência é de a diferença somente aumentar", disse. O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, explica o descompasso: com velocidade cada vez maior, surgem no mercado tecnologias e medicamentos mais sofisticados. "Há uma pressão da sociedade, do mercado, para que tais técnicas e drogas, consideradas a última palavra, sejam incorporadas, rapidamente", observou.

Agencia Estado,

27 de abril de 2007 | 12h10

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.