Governo recomenda leite materno a bebês com microcefalia

'Embora boatos tenham surgido, não há nada que indique que o aleitamento seja prejudicial', disse secretário do Ministério da Saúde

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

14 Dezembro 2015 | 16h50

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde recomenda que bebês com microcefalia sejam alimentados com leite materno até os dois anos ou mais. "Embora boatos tenham surgido, não há nada que indique que o aleitamento seja prejudicial. Não há nenhum motivo para mudar a conduta de recomendação do aleitamento materno", disse o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame.

A recomendação integra um protocolo feito pelo ministério para orientar profissionais de saúde sobre ações de prevenção de infecção de zika durante o pré-natal, parto e nascimento e assistência dos bebês com microcefalia. Entre as ações que serão adotadas, está o aumento de testes rápidos de gravidez. O plano é ampliar a para 10 milhões o número de exames. 

"Quanto antes a mulher souber da sua condição, melhor. O fundamental é que gestantes tomem todos os cuidados necessários para reduzir o risco de contaminação", disse o secretário. Atualmente, 50% das grávidas iniciam o pré-natal depois da 12ª semana. "Queremos mudar essa realidade e iniciar o acompanhamento o mais rápido possível", completou.

Beltrame afirmou que o plano pretende reforçar as visitas domiciliares feitas pelos agentes comunitários e agentes de endemias. O objetivo é facilitar a oferta de contraceptivos e orientação de mulheres em idade fértil que queiram engravidar. Nas visitas, agentes vão orientar gestantes para que elas sigam o calendário de vacinação e compareçam a todas as consultas agendadas. Nas cadernetas das mulheres, serão registrados eventuais sintomas de zika. "Se sintomas estiverem presentes, com base no diagnóstico clínico o caso será notificado", disse o secretário.

 

Mais conteúdo sobre:
Ministério da Saúde Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.