Rahel Patrasso/Reuters
Rahel Patrasso/Reuters

Governo usará inteligência artificial para fazer consulta à distância e mapear riscos do coronavírus

Serão realizadas 125 milhões de ligações para tentar evitar sobrecarga no sistema de saúde

Julia Lindner, André Borges, Idiana Tomazelli e Dida Sampaio, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2020 | 21h30

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta terça-feira, 31, que a pasta vai começar esta semana a fazer um disparo em massa de ligações para fazer uma triagem à distância na população e acompanhar riscos de contaminação pelo novo coronavírus. A ideia é evitar uma sobrecarga no sistema de saúde.

"A gente fez um algoritmo com disparo de ligações para 125 milhões de brasileiros, ligado em um grande data center", disse Mandetta durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

"Hoje a gente dispara as ligações. Então não se espantem se receberem as ligações, fazer uma consulta, vai te perguntando, você vai respondendo, e aí ela começa a acompanhar. O sistema com inteligência artificial vai triando, começa a acompanhar e dizer: posso te ligar daqui a oito horas, dez horas, 12 horas?", explicou o ministro

O conjunto dessas informações vai permitir antecipar quem é do grupo e risco, que tem contato com quem, entre outras informações. Na prática, o governo quer reunir informações por meio desse recurso, para tentar rastrear o perfil das pessoas e, assim, identificar possíveis "zonas quentes" de contaminação pelo País, se antecipando a trajetórias da covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.