Reuters/Diego Vara
Reuters/Diego Vara

Governo vai convidar 211 mil pessoas para estudo sobre prevalência da covid; veja como vai funcionar

A pesquisa PrevCov, com conclusão prevista para setembro, vai mapear o comportamento do novo coronavírus em território nacional

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2021 | 09h08

O Ministério da Saúde começou a enviar nesta segunda-feira, 17, mensagens de confirmação por SMS e WhatsApp aos brasileiros selecionados para a Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (PrevCov). O estudo vai mapear o comportamento do novo coronavírus em território nacional e deve contar com a participação de 211.129 pessoas em 274 municípios do País.

O Ministério reforça o cuidado com a segurança dos escolhidos: nenhum dado pessoal, como CPF, RG, endereço ou conta bancária, é solicitado no texto. É apenas uma mensagem de aviso e confirmação. 

Os selecionados são os mesmos que já participaram da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Covid-19), realizada em 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A previsão de conclusão do novo estudo é setembro deste ano. 

Como saber se fui selecionado? 

Confira o passo a passo:

  • Você precisa ter sido um dos participantes da Pnad Covid-19, realizada em 2020;
  • Você vai receber uma mensagem por SMS ou WhatsApp informando que foi escolhido;
  • Após a mensagem, nos dias seguintes, a central do Ministério da Saúde ligará para confirmar sua participação; 
  • Nesta ligação, a equipe fará uma breve entrevista;
  • Uma vez que você concorde em participar, a central fará o agendamento para ir até a sua casa e fazer a coleta. 

Como vai funcionar o estudo?

Os participantes do estudo vão ser testados para identificar quem já foi infectado pelo novo coronavírus ou desenvolveu imunidade após a vacinação. Para isso, o teste indicará se há ou não a presença de anticorpos do tipo IgG para a covid-19 no sangue coletado.

Após a confirmação de participação e a realização da entrevista por telefone (ver passo a passo acima), o coletador irá até a casa do participante, munido de identificação. 

Antes do procedimento, o selecionado deve assinar um termo de consentimento para a coleta de sangue, que será feita na própria residência. Assim, a pessoa que participar não precisará ir ao laboratório. 

O Ministério da Saúde vai divulgar os resultados da pesquisa em documentos técnicos e coletivas de imprensa, mas ressalta que cada participante terá acesso ao próprio exame de forma individual. 

Quer saber mais informações? 

O Ministério da Saúde disponibilizou um canal para informações sobre a pesquisa na Ouvidoria do SUS, por meio do número 136.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.