Grandes redes de drogarias aderem ao Farmácia Popular

Pelo menos quatro grandes redes de farmácias de São Paulo já aderiram à expansão do Programa Farmácia Popular do Brasil, do governo federal, que prevê a venda de remédios para diabete e hipertensão com descontos de 90%. A lista de medicamentos disponíveis conta com cerca de 200 apresentações, de oito princípios ativos. De acordo com o Ministério da Saúde, 1.357 drogarias se credenciaram para participar do programa e já oferecem os remédios mais baratos em todo o País. No Estado de São Paulo, são 589 farmácias cadastradas. Boa parte delas pertence à Drogaria São Paulo, que credenciou 160 unidades. Outra rede participante do programa é a Droga Raia, com 102 lojas que oferecem quase 90 medicamentos da lista do programa. Segundo a empresa, os clientes que apresentarem a carteirinha de fidelidade do grupo também ganharão descontos de até 30% no restante do valor do remédio. Também estão cadastradas no Farmácia Popular a Drogasil e o Drogão, que aguarda apenas a visita de servidores da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) para colocar os produtos com desconto nas prateleiras. Para comprar os medicamentos na rede privada basta apresentar o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e uma receita médica, que tem validade de 180 dias. Nas lojas credenciadas, identificadas com faixas e cartazes do programa, o atendente fará uma consulta rápida do item procurado para, em seguida, aprovar a compra com o desconto de 90%. Na prática, o consumidor paga apenas 10% do valor e o governo arca com o restante. Com esse desconto, o preço de um medicamento como o Atenobal de 25 mg cai de R$ 7,34 para R$ 0,73. Segundo estimativas do Ministério da Saúde, 16,8 milhões de brasileiros sofrem de hipertensão e outros 5 milhões têm diabete. Com a ampliação do programa, estima-se que 11,5 milhões de pessoas estão sendo beneficiadas. Para participar do programa, as farmácias devem cumprir uma série de exigências, como ter autorização de funcionamento, não ter dívidas com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e oferecer um sistema informatizado para o lançamento das compras. Unidades próprias Além da parceria com as redes privadas, o Programa Farmácia Popular também tem unidades próprias espalhadas pelo Brasil. Hoje, há mais de 130 postos mantidos em parceria entre o governo e os municípios. A relação completa está no site www.saude.gov.br/aquitemfarmaciapopular. A consulta também pode ser feita pelo telefone 0800-61-1997. Nessas farmácias, os consumidores encontram cerca de 90 medicamentos com desconto de até 90%. Para adquirir os produtos, basta apresentar uma receita médica recente, assinada por médicos de hospitais públicos, privados ou de convênios médicos. Segundo Pedro Zidoi, presidente da Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABC Farma), o programa ainda tem de passar por alguns ajustes. "Há muita burocracia para a liberação da compra, e isso atrapalha os negócios. O cliente chega ao balcão, pede pelo medicamento e tem de esperar pela aceitação do pedido", diz ele, esperando que o governo faça alterações que facilitem o sistema para o consumidor.

Agencia Estado,

05 de maio de 2006 | 09h11

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.