Grau de infestação pelo mosquito da dengue cai no Brasil

O número de pessoas vivendo em regiões com risco de surto de dengue caiu de 10,4 milhões para 3,8 milhões

Lígia Fomenti, da Agência Estado,

23 de novembro de 2007 | 20h00

O índice de infestação do inseto da dengue caiu no País. Levantamento feito pelo Ministério da Saúde, o Liraa, indica uma queda de 17% nas áreas de risco de epidemia, quando comparado com ano passado. O mesmo trabalho aponta um aumento das áreas consideradas livres de risco de epidemia, no mesmo período.   Em 2006, foram classificadas em condições satisfatórias 37,7% das áreas analisadas. Agora, são 54,2%. Mesmo assim, atualmente 32,6 milhões de pessoas vivem em municípios considerados de alerta ou de alto risco para epidemia - o que corresponde a 48% da população analisada.   "Os números melhoraram, mas isso não significa que podemos ficar descansados", afirmou o secretário de Vigilância em Saúde, Gerson Penna. "É preciso redobrar esforços para reduzir os focos do mosquito".   Ele observa que o Liraa, sigla de Levantamento de Índices Rápido de Infestação por Aedes aegypti, traz apenas um retrato da situação do País, e orientar ações de prevenção à doença. "Se medidas preventivas forem relaxadas, o número de criadouros pode novamente aumentar."   Nas regiões Norte e Nordeste, criadouros do mosquito estão relacionados principalmente aos problemas de infra-estrutura. A maioria dos municípios analisados pelo levantamento nas duas regiões apresentou maior proporção de Aedes aegypti em caixas d'água, toneis e poços - todos artifícios usados pela população que não tem abastecimento contínuo de água.   Na região Sudeste, criadouros são encontrados em depósitos das casas - vasos de planta, bromélias, lajes, ralos. Na região Sul, depósitos domiciliares e lixo foram os principais locais onde o Aedes foi encontrado.   O Liraa foi feito entre a última semana de outubro e a primeira de novembro. O resultado indica que o número de pessoas vivendo em regiões com risco de surto de dengue caiu de 10,4 milhões para 3,8 milhões.   De janeiro a setembro deste ano, foram registrados no país 481.316 casos de dengue clássica, 1.076 de dengue hemorrágica e a ocorrência de 121 mortes.  Do total de casos, 43% concentram-se em pequenos e médios municípios, com menos de cem mil habitantes.

Tudo o que sabemos sobre:
dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.