Greve na Anvisa: Suspensa no RJ, mantida na BA

Em assembléia geral, ontem à tarde, funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Rio decidiram suspender a greve. Eles darão uma "trégua" de dez dias ao governo federal e, assim, esperam reabrir as negociações. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social do Estado do Rio (Sindisprev-RJ), Júlio César Tavares, disse, porém, que os funcionários, cujos pontos foram cortados, só voltarão plenamente ao trabalho se o governo pagar de forma integral os salários relativos aos dias da greve. Bahia Em assembléia realizada na manhã de ontem, os 70 servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na Bahia resolveram permanecer em greve e rejeitar a proposta do governo federal de trégua, para que o diálogo seja reaberto. A greve interrompe a fiscalização sanitária nos aeroportos e portos da Bahia, impedindo, principalmente, que laboratórios farmacêuticos recebam matérias-primas importadas para produção de medicamentos destinados a doenças crônicas como Mal de Parkinson e hipertensão. Se a paralisação durar mais 15 dias, o estoque de remédios da Secretaria de Saúde da Bahia, que abastece hospitais de referência no Estado, ficará completamente comprometido, prejudicando centenas de doentes.

Agencia Estado,

28 de abril de 2006 | 08h24

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.