Gripe A mata 512 na Argentina, 109 no Peru, e 43 na Colômbia

Ministérios da Saúde dos três países latino-americanos divulgaram novos dados sobre mortes pelo vírus A(H1N1)

Efe,

07 Setembro 2009 | 23h34

O número de mortos pela gripe A na Argentina subiu para 512 sobre um total de 8.384 pessoas afetadas pela doença, segundo um relatório divulgado nesta segunda, 7, pelo Ministério da Saúde argentino.

O número significa a confirmação de 47 novas mortes em decorrência do contágio pelo vírus A(H1N1). O relatório anterior, divulgado no último dia 28, falava de 465 falecidos.

 

Apesar disso, o ministro da Saúde argentino, Juan Manzur, afirmou há alguns dias que o pico da gripe A no país ficou "para trás". Segundo o texto divulgado hoje, a "atividade da doença é decrescente e provoca atualmente um impacto baixo nos serviços de saúde", ao contrário do que aconteceu em julho.

 

Ainda de acordo com o relatório, a semana de entre 26 de junho e 4 de julho foi a que concentrou o maior número de mortes por causa do vírus A(H1N1), "observando-se depois uma diminuição".

 

No Peru, gripe A já matou 109 pessoas

 

Subiu para 109 O número de mortes no país por causa da gripe A, após a confirmação de mais 11 falecimentos na semana passada sobre um total de 7.321 casos da doença, informou hoje o Ministério da Saúde (Minsa) peruano.

 

Entre 30 de agosto e 6 de setembro, 621 novos casos de contágio pelo vírus A(H1N1) foram confirmados no país. A tendência de contágios é crescente em nove regiões, permanece estável em quatro e é decrescente em outras 11, diz o Minsa.

 

Os estabelecimentos de saúde continuam em alerta e há antivirais para os tratamentos em quantidades adequadas, acrescenta a nota oficial.

 

Na Colômbia, número de mortos pela gripe A sobe para 43

 

Com a confirmação de mais oito falecimentos em decorrência do contágio pelo vírus A(H1N1), subiu para 43 o número de mortos pela doença, segundo informou hoje o ministro da Proteção Social colombiano, Diego Palacio Betancourt.

 

Além disso, a doença atingiu 795 colombianos, entre eles o presidente do país, Álvaro Uribe, e membros de seu alto escalão. Nesta segunda-feira, Uribe retornou às atividades cotidianas após permanecer isolado por oito dias.

 

Por outro lado, foi confirmado neste domingo que o alto comissário para a paz na Colômbia, Frank Pearl, está com gripe A.

Mais conteúdo sobre:
gripe A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.