Gripe aviária amplia avanço sobre Europa

A gripe aviária chegou à Áustria e à Alemanha. São o sétimo e oitavo países da Europa - quinto e sexto países da União Européia (UE) - a confirmar a localização de aves mortas infectadas pelo vírus H5N1. Já foram notificados focos na Itália e Eslovênia (que formam, ao norte, fronteira com a Áustria), Chipre, Grécia, Bulgária e Romênia (os dois últimos ainda não foram admitidos na UE). A parte da Turquia que pertence ao continente europeu não tem registro de casos de gripe aviária. Diante do rápido avanço da doença, especialistas veterinários do bloco se reúnem, hoje e amanhã, em Bruxelas, para analisar a possibilidade de sacrificar, preventivamente, criações inteiras de frangos e outras aves para consumo humano. Até agora, os episódios notificados envolvem apenas cisnes e patos selvagens. O padrão das ocorrências se repetiu nos casos alemão e austríaco. Testes preliminares Autoridades da Alemanha informaram que testes preliminares identificaram a incidência do vírus H5N1 em dois cisnes encontrados mortos na Ilha de Ruegen, ao norte do país (costa do Mar Báltico), perto da cidade de Rostock e da fronteira com a Polônia, a leste. O ministro da Agricultura alemão, Horst Seehofer, marcou uma coletiva de imprensa para informar sobre a situação. Na Áustria foram encontrados dois cisnes mortos pelo H5N1 em Graz, no sul, perto da fronteira com a Eslovênia, segundo informações divulgadas ontem pela Agência Federal de Segurança Alimentar. A UE adotou um discurso mais cauteloso neste caso, e atribuiu oficialmente as mortes - ao menos até que testes laboratoriais sejam concluídos -, à infecção pela variante geral do vírus, a cepa H5, menos perigosa. Medidas de proteção A confirmação, tanto no caso da Alemanha como no caso austríaco, virá do laboratório de referência europeu, em Weybridge, Grã-Bretanha. "Seja uma forte suspeita ou um caso confirmado, o resultado é o mesmo", disse Philip Tod, porta-voz do comissário europeu de Saúde Markos Kyprianou. "Significa a adoção de medidas de proteção", avaliou. As precauções serão as mesmas implementadas pela Grécia e pela Itália: decretação por 30 dias de uma zona de proteção com raio de 3 quilômetros a partir do local em que a ave foi encontrada morta e de uma zona de vigilância reforçada em um raio de 10 quilômetros do foco, com duração de três semanas. Irã A gripe aviária chegou também ao Irã, que tem fronteira a oeste com o Iraque e a Turquia: 135 cisnes foram encontrados mortos em Anzali, nas proximidades do Mar Cáspio. A Agência das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) enfatizou hoje o risco que a Europa corre com o retorno das aves migratórias que se deslocam para a África no inverno e retornam ao continente europeu na primavera. Técnicos da FAO também informaram que a gripe aviária pode ter passado da Nigéria para o Níger, seu vizinho ao norte. Diante do pânico que tomou a população italiana, em especial, a FAO tem repetido que a situação está sob controle.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.