Gripe: prefeitura do PR desiste de proibir aglomerações

O decreto revogado, entre outras coisas, estipulava multas para quem desobedecesse as determinações

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

10 Setembro 2009 | 18h10

Duas meninas desenvolvem resistência ao Tamiflu nos EUAA prefeita de Jacarezinho (PR), Valentina Helena de Andrade Toneti (PT), revogou, na tarde de hoje, o decreto 2078/2009, que determinava, entre outros itens, proibição e punição para aglomerações nas ruas da cidade e fechamento do comércio às 18h30, com o objetivo de reduzir a circulação do vírus da gripe suína. Segundo a prefeitura, o decreto não teria a "eficácia necessária" em razão da falta de respaldo de outros órgãos, entre eles instituições estaduais e judiciárias.

Uma primeira concessão já tinha sido feita ontem, um dia depois de o decreto entrar em vigor, com a permissão de que os bares e restaurantes permanecessem abertos até a meia-noite. Um dos itens do decreto previa a suspensão das aulas até o dia 27, mas as escolas e faculdades estaduais seguem orientação do governo do Estado, que mantém as atividades normais.

O decreto ainda estipulava multas para quem desobedecesse as determinações. Elas seriam aplicadas até mesmo a pessoas que estivessem em aglomerações nas ruas, ao valor de R$ 300,00 para cada uma. De acordo com a prefeitura, o município, de 39 mil habitantes, registrou duas mortes e tem 30 casos confirmados da doença pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.