Gripe suína começa a recuar na Argentina, diz Governo

Documento do Ministério da Saúde do país relata "uma tendência decrescente da atividade do vírus"

Efe,

13 Setembro 2009 | 12h02

A Argentina já registra "uma tendência decrescente da atividade" do vírus AH1N1, causador da gripe A, doença que, segundo um relatório do Ministério da Saúde divulgado neste domingo, 13, já matou 514 pessoas no país, duas delas na semana passada.

 

O documento, divulgado pela agência estatal "Talam", destaca que as autoridades de saúde sanitárias analisaram "20.409 amostras e confirmaram 8.851 casos" da nova gripe em todo o país.

 

No relatório anterior, divulgado segunda-feira, o número de mortos era de 512 e os infectados totalizavam 8.384.

 

"Os vírus da Influenza Pandêmica (H1N1) e da Influenza A (...) chegaram a representar 92,9% dos vírus respiratórios notificados nos maiores de 5 anos", destaca o documento apresentado neste domingo.

Por outro lado, nos menores de 5 anos, esta proporção não passou de 23,5%.

 

Em julho, auge do inverno no hemisfério sul, a propagação da doença forçou o fechamento de escolas e a suspensão de atividades políticas, culturais e esportivas

Mais conteúdo sobre:
gripe suína Argentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.