Gripe suína mata 70 no México; Japão tem 173 doentes

Chile registra 3 novos casos da doença e, no Panamá, já são 59; EUA têm o maior número de infectados, 4.714

Efe,

19 Maio 2009 | 01h33

A gripe suína continua avançando no mundo e o número de mortes confirmadas no México já chega a 70, duas a mais que as ocorrências registradas até sábado. Os contágios no país aumentaram de 3.102 para 3.576, embora a evolução da epidemia "siga a tendência descendente", informou a Secretaria de Saúde mexicana. Já no Japão, os casos da doença somam 173, a maioria estudantes de ensino médio que não viajaram recentemente ao exterior.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

Em comunicado, o ministério mexicano informou que as duas novas mortes confirmadas ocorreram em 19 de abril e 13 de maio, ambas na capital mexicana. Das 70 vítimas, só em seis dos casos os sintomas foram apresentados após 23 de abril, quando foi anunciado oficialmente o surto da gripe, explicou.

 

No Japão, os governos locais das províncias de Hyogo e Osaka (centro do país) confirmaram os casos mais recentes da gripe, entre eles o de uma menina de um ano, indicou a "Kyodo".

 

A rápida expansão da gripe suína no Japão, depois de o primeiro caso de contágio interno ter sido confirmado neste sábado, forçou o fechamento de mais de quatro mil escolas nestas duas províncias, o que afeta mais de 1,4 milhão de estudantes.

 

Apesar do aumento de casos, o Ministério da Saúde do Japão decidiu reduzir paulatinamente as inspeções de quarentena nos aviões que chegam ao aeroporto de Tóquio-Narita, até encerrá-las no final desta semana, segundo a Kyodo.

 

Américas

 

As autoridades de saúde chilenas informaram sobre três novos casos da gripe suína no país, elevando para cinco o total de afetados pela doença. Uma criança de oito anos, colega de classe de um menino de seis anos em quem foi detectado o vírus AH1N1 anteriormente, se tornou o quinto contagiado no Chile pela doença, que afeta também três mulheres que chegaram no fim de semana da República Dominicana.

 

A presidente chilena, Michelle Bachelet, contou que a criança contaminada pelo vírus teve contato recentemente com uma família que visitou o México, país onde se originou o foco da gripe.

 

Segundo Claudia González, chefe de epidemiologia do Ministério da Saúde chileno, o menino "se encontra em tratamento em sua residência e em boas condições", enquanto que a mulher foi hospitalizada, embora seu estado de saúde também seja bom.

 

As autoridades decretaram o fechamento da escola em que o menino estuda durante sete dias como medida preventiva.

 

O Panamá confirmou 59 casos, dos quais 28 foram registrados em homens e 31 em mulheres, sem que o país tenha reportado qualquer morte até o momento.

 

Desse total, 39 estão na região metropolitana da Cidade do Panamá; 11 em San Miguelito, na periferia leste da capital; cinco em Arraiján e Vista Alegre, oeste; três em Colón, norte, e um em Coclé, no interior.

 

O país com maior número de contágios, até agora, são os Estados Unidos, com 4.714 casos, o que representa 51% do total mundial, disse a fonte.

 

Coreia do Sul

 

As autoridades sanitárias da Coreia do Sul confirmaram o quarto caso da gripe suína no país, uma cidadã vietnamita que tinha viajado dos Estados Unidos e que foi isolada na segunda-feira após apresentar sintomas suspeitos.

 

A mulher, de 22 anos, chegou no domingo à tarde à Coreia do Sul procedente de Seattle, nos Estados Unidos. Em Seul, ela tomaria um voo para o Vietnã. A passageira apresentava febre e, por isso, as autoridades sul-coreanas decidiram deixá-la em quarentena para submetê-la a exames médicos mais exaustivos em um hospital local, segundo o Centro Sul-coreano para a Prevenção e o Controle de Doenças.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínainfluenza A(H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.