REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

'Estado' cria núcleo especial e newsletter por novo coronavírus

Equipe vai ficar concentrada na cobertura da epidemia da nova doença; empresa também vai ampliar número de funcionários que trabalham de casa

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 22h21

SÃO PAULO - Os desafios provocados pelo rápido avanço do novo coronavírus têm exigido a adoção de uma série de atitudes e mudanças por parte do Grupo Estado. No nosso caso, a missão é manter uma cobertura precisa e o mais completa possível da crise, sem colocar em risco a saúde de nossos profissionais. Para isso, montamos um núcleo especialmente dedicado a essa cobertura, com cerca de 30 profissionais de São Paulo, Brasília e Rio, sem contar os correspondentes pelo País. “Nossa prioridade é a busca por informações que orientem as pessoas nessa crise e a cobrança das autoridades para que cumpram seu papel”, diz David Friedlander, editor executivo do jornal. O Estado está intensificando a produção de reportagens especiais para as edições digital e impressa.

As equipes do Broadcast e do BRPolítico, dois serviços de informação exclusiva do Grupo Estado, estarão dedicadas aos impactos na economia e na política. O Estadão Conteúdo reforça a distribuição das reportagens para veículos de comunicação de todo o País. Nesta quinta-feira, 12, lançamos newsletter especial, diária, que abordará todos os acontecimentos que o leitor precisa saber sobre a crise. Essa ferramenta é gratuita e estará ao alcance de todos os leitores do Estado – não só assinantes. Da mesma forma, liberamos nossa cobertura em tempo real, o chamado "ao vivo", para que todos tenham acesso ao noticiário.

Há ainda uma série de conteúdos disponíveis sem assinatura. São reportagens que sobretudo orientam e explicam a crise pela qual o mundo passa. 

Entre as reportagens, há serviços com orientações sobre como lavar as mãos, qual a melhor hora para usar máscaras e como se deve conversar com os filhos sobre a doença. O Estado também deixa disponível a todos os leitores o especial tira dúvidas, tão necessário para combater desinformação e fake news sobre o tema.

“Estamos conscientes da gravidade do momento. O Estadão, compromissado com o Brasil há 145 anos, vai cumprir seu papel na superação dessa crise junto com a sociedade brasileira”, diz o diretor de Jornalismo, João Fábio Caminoto.

Como a maioria das empresas, o Grupo Estado adotou uma série de medidas para preservar a saúde dos colaboradores. Haverá redução imediata do trabalho na sede da empresa, ampliando a quantidade de pessoas que passam a trabalhar de casa para diminuir a circulação pela cidade. E as reuniões foram reduzidas ao mínimo necessário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.