'Grupos de risco para a gripe devem procurar postos'

Secretário de Vigilância em Saúde faz apelo principalmente para gestantes, grupo com menor cobertura vacinal no País, de 73,6%

Lígia Formenti,

23 de maio de 2013 | 10h55

O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, recomendou que integrantes de grupos de risco para gripe procurem postos de saúde, caso ainda não tenham sido imunizados. “Aqueles que demorarem muito correm o risco de ficar sem proteção”, disse. Ele observou que a vacina não é como as outras, disponível nos postos durante todo o ano. O apelo é feito sobretudo para gestantes, grupo com menor cobertura vacinal no País, de 73,6%.

“Comparando com experiências de outros países, os números da cobertura são bons. Mas podemos avançar mais”, disse. Principalmente em São Paulo, Estado que enfrenta surto de H1N1. Dados divulgados ontem mostram que as cidades paulistas concentram 90% das mortes registradas no País. Até dia 12 de maio, foram 55.

Barbosa avalia que a taxa de mortalidade tende a cair. “Tradicionalmente, no início da epidemia o número de mortes é maior. Passado o primeiro período, com população e profissionais de saúde mais alertas, a busca pelo atendimento é mais rápida e o tratamento indicado, mais alinhado com protocolo”, completou.

O secretário afirmou que em todo o País, mesmo aqueles em que a campanha de vacinação não tenha sido prorrogada, grupos de maior risco para formas mais graves de gripe poderão ser vacinados. “O produto não é recolhido. Ele fica disponível, até que o quantitativo acabe.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.