AP
AP

'Guinness' reconhece japonês de 115 anos como a pessoa mais velha do mundo

Jiroemon Kimura teve 7 filhos, só 5 ainda estão vivos, e tem 14 netos, 25 bisnetos e 13 tataranetos

Efe

18 Dezembro 2012 | 15h21

TÓQUIO - O "Guinness World Records" reconheceu nesta terça-feira o japonês Jiroemon Kimura, de 115 anos, como a pessoa mais longeva do mundo, após o falecimento da americana Dina Manfredini, também de 115 anos.

Kimura, que já era tido como o homem mais velho do planeta desde abril do ano passado, nasceu em 19 de abril de 1897, 15 dias depois de Dina, que faleceu nesta segunda-feira em Johnston, no estado de Iowa.

Dina foi considerava a pessoa mais velha do mundo durante menos de duas semanas, após o falecimento da também americana Besse Cooper, de 116 anos, em 4 de dezembro.

Kimura nasceu na antiga província de Tango, atual Kioto, no seio de uma família de agricultores e, após se aposentar como funcionários dos correios, dedicou boa parte de seu tempo a trabalhar em sua horta até pouco antes de completar 100 anos.

Embora passe a maior parte do dia em sua cama, ainda come três vezes por dia com o restante de sua família, com a qual compartilha o mesmo menu, segundo asseguram seus parentes. Kimura tem sete filhos - cinco dos quais ainda vivem -, 14 netos, 25 bisnetos e 13 tataranetos.

Desde março de 2011, Kimura é considerado a pessoa mais idosa do Japão, um dos países com maior esperança de vida no mundo e que no ano passado registrou o recorde de mais de 30 milhões de habitantes acima dos 65 anos, ou seja, 24,1% de sua população. Desses, os maiores de 100 anos superaram, pela primeira vez na história do país, a marca de 50 mil cidadãos.

Mais conteúdo sobre:
Guinness Jiroemon Kimura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.