Reprodução
Reprodução

Há 30 anos morria o psicólogo suíço Jean Piaget

Piaget se especializou em psicologia infantil em mais de 50 anos de pesquisa

Rose Saconi, Estado de S. Paulo

16 Setembro 2010 | 09h59

O professor suíço Jean Piaget, conhecido como o ‘pai da psicologia infantil moderna’ morreu há 30 anos, no dia 16 de setembro de 1980, aos 84 anos, em Genebra, Suíça.

 

Veja também:

link Jornal do dia da morte de Piaget

 

Formado em Biologia, mas interessado no estudo da inteligência e do pensamento, ele se especializou em psicologia infantil durante mais de 50 anos de pesquisas que lhe deram renome mundial e inúmeros discípulos, inclusive no Brasil, onde muitas escolas ainda seguem sua orientação. Segundo ele, uma criança não pode ser forçada, pela escola ou família, a desenvolver sua compreensão mais depressa do que permite sua evolução natural.

 

"A nossa cultura acaba de perder um dos maiores gênios do século XX", lamentou a professora da Universidade de São Paulo, Zélia Ramozzi, estudiosa da obra de Piaget.

 

"Perder Piaget é perder o líder interdisciplinar que procura, na Psicologia do Desenvolvimento da inteligência infantil, um método seguro para encontrar o misterioso vínculo que reúne a vida orgânica e a inteligência", declarou a professora da Universidade Estadual de Campinas, Amélia Domingues de Castro.

 

A teoria desenvolvida por Jean Piaget defende a descoberta do mundo pela própria criança. Numa das muitas entrevistas que deu durante seus anos de trabalho, Piaget declarou ao Estado que "o objetivo da Educação não é aumentar a quantidade de conhecimento, mas criar possibilidades para a criança inventar e descobrir. É de criar pessoas capazes de fazer coisas novas".

 

Piaget nasceu em 9 de agosto de 1896, em Neuchâtel, Suíça, em cuja universidade estudou Biologia especializando-se em Zoologia. Em 1921 Piaget foi nomeado diretor do Instituto de Estudos de Genebra, e mais tarde foi catedrático das universidades de Lausanne e Paris. Pouco a pouco foi se interessando primeiro pela Epistemologia e pela Lógica e, finalmente, pela Psicologia, terreno em que, segundo muitos, teria exercido uma influência semelhante à de Freud.

 

Muito simples, chegou uma vez a ser barrado pelo porteiro do prédio da ONU, que exigiu passaporte diplomático daquele senhor que chegava de bicicleta para fazer uma conferência para um auditório lotado.

 

Doutor honorário de mais de 30 universidades, Piaget escreveu mais de 40 livros e um grande número de artigos.

 

Entre suas obras mais conhecidas estão A linguagem e o pensamento da criança, A representação do mundo na criança, O nascimento da inteligência da criança, Memória e inteligência e Epistemologia genética.

 

 

Saiba mais:

*Piaget defendeu a tese de que "a educação deve promover criadores, inventores e não conformistas".

*Segundo o educador, considerado um dos maiores do século XX, "a criança deve agir em função de suas necessidades e interesses".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.