Há suspeita de contágio de gripe aviária entre pessoas na Ásia

Vítimas são membros de uma família paquistanesa; OMS diz que ainda não há risco de ampla disseminação

REUTERS

27 de dezembro de 2007 | 17h20

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou na quinta-feira, 27, a ocorrência de um caso de contaminação humana pelo vírus H5N1 (gripe aviária) entre pessoas dentro de uma família no Paquistão, mas disse que aparentemente há pouco risco de epidemia.   Existe suspeita de que a doença tenha se transmitido diretamente de uma pessoa para outra, mas essa possibilidade, ao contrário do que foi divulgado anteriormente pela Reuters e reproduzido no portal estadao.com.br, não conta, ainda, com confirmação oficial.Em nota, a agência da ONU disse que exames feitos em laboratórios especiais do Cairo e de Londres diagnosticaram uma "infecção humana" por meio da presença dos vírus "recolhidos de um caso em uma família afetada". A  OMS disse que uma equipe enviada ao Paquistão para examinar a contaminação de até nove pessoas, entre o fim de outubro e 6 de dezembro, não encontrou provas de transmissão comunitária ou continuada entre seres humanos. O surto seguiu-se ao abate de aves contaminadas na província de Peshawar. Um veterinário envolvido e três de seus irmãos subseqüentemente tiveram pneumonia ou sintomas dessa doença. Os irmãos trataram-se mutuamente e tiveram contato íntimo em casa e no hospital, segundo uma fonte da OMS em Genebra. Um deles, que não participou do abate, morreu em 23 de novembro - esse é o caso suspeito de transmissão interpessoal. Os outros irmãos se recuperaram. Contaminações em circunstâncias similares já haviam sido registradas na Indonésia e na Tailândia. Em geral, a contaminação se dá no trato com aves. Desde 2003, foram registrados 343 casos, que resultaram em 211 mortes no mundo, especialmente na Ásia.   Texto alterado às 14h33 de 28/12, para esclarecimento do caráter não-oficial da possibilidade de contaminação entre pessoas

Tudo o que sabemos sobre:
AVIARIAOMSPAQUISTAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.