Hábitos ruins podem apressar envelhecimento em 12 anos, diz estudo

Fração menos saudável de grupo estudado teve 29% de mortalidade, ante 8% da parte com bons hábitos

Associated Press

26 Abril 2010 | 17h43

A combinação de quatro maus hábitos - fumar, beber em excesso, inatividade e dieta errada - pode acrescentar 12 anos à sua idade, indica uma nova pesquisa.

 

A descoberta vem de um estudo que acompanhou cerca de 5.000 britânicos adultos por 20 anos. Ao todo, 314 das pessoas estudadas combinavam todos os quatro maus hábitos. Entre elas, 91 morreram ao longo do estudo, ou 29%. Entre as 387 pessoas mais saudáveis, que não tinham nenhum dos quatro hábitos, 32 morreram, ou 8%.

 

Os comportamentos de risco foram: fumar tabaco; beber mais de três doses de álcool ao dia, para homens, ou de duas, para mulheres; fazer menos de duas horas de atividade física por semana; e comer frutas e legumes menos de três vezes por semana.

 

Combinados, esses hábitos aumentaram de modo substancial o risco de vida e fizeram os praticantes parecerem 12 anos mais velhos que as pessoas do grupo mais saudável, disse a principal autora do estudo, Elisabeth Kvaavik, da Universidade de Oslo.

O trabalho aparece na edição desta segunda-feira do periódico Archives of Internal Medicine.

 

O grupo Amis saudável inclui tanto pessoas que nunca fumaram quanto ex-fumantes; abstêmios e bebedores leves; pessoas que faziam pelo menos duas horas semanais de exercício; e os que comem frutas e legumes pelo menos três vezes por semana.

"Não é preciso ser radical" para estar na categoria saudável, disse a cientista. "Esses comportamentos se somam, então juntos são muito bons. Deveria ser possível para a maioria das pessoas mantê-los".

 

Por exemplo, uma cenoura, uma maçã ou um copo de suco de laranja já bastariam para preencher o critério de consumo de frutas e legumes do estudo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.