Haiti recebe 39 toneladas de ajuda espanhola para combater cólera

Carga inclui kits, soros, sais de reidratação e tanques de água; mortalidade chega a 7%

Efe

26 Novembro 2010 | 23h10

PORTO PRÍNCIPE - O Haiti recebeu nesta sexta-feira, 26, 39 toneladas de ajuda procedente da Espanha para combater a epidemia de cólera, que causou mais de 1.600 mortes e cujo índice de mortalidade se situa entre 5% e 7%, "uma taxa elevada demais", segundo o embaixador da Espanha no país, Juan Fernández Trigo.

A ONG internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) no Haiti receberá 37 dessas toneladas, que incluem soros, sais de reidratação e kits para o tratamento da doença nos diversos centros administrados pela entidade. A carga inclui, ainda, duas toneladas de equipamentos de saúde e tanques de armazenamento de água, que a Cruz Vermelha espanhola administra em colaboração com a missão haitiana da organização.

A MSF dispõe de 2.912 leitos hospitalares no país (mil deles na capital, Porto Príncipe) e prevê aumentar essa quantidade para 3.910 nos próximos dias, de acordo com o chefe de missão da Espanha, Francisco Otero. A missão espanhola da organização administra 690 desses leitos e prevê alcançar 1.230.

O embaixador espanhol, em declarações feitas à imprensa no aeroporto, onde a ajuda foi recebida, disse que a epidemia "está, de certo modo, transbordada", o que justifica o trabalho da MSF e da Cruz Vermelha.

Mais conteúdo sobre:
cóleraHaitiEspanhaepidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.