Caius Lucilius/Hc Unicamp
Caius Lucilius/Hc Unicamp

HC da Unicamp tem cinco crianças internadas com suspeita de coronavírus

Mais novos não estão no grupo de risco para covid-19, mas especialistas dizem que disseminação da doença entre jovens preocupa

Pablo Pereira, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2020 | 21h57

O temor da contaminação pela covid-19 entre as crianças alertou médicos da Unidade de Emergência Pediátrica do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). No fim da tarde desta quarta-feira, 1º, pelo menos cinco crianças estavam hospitalizadas na unidade, consideradas suspeitas de infecção. Embora crianças não estejam no grupo de risco, especialistas afirmam que a disseminação do vírus entre os mais novos também preocupa. 

“Temos duas dessas crianças sob ventilação mecânica na UTI (Unidade de Terapia Intensiva)”, explicou ao Estado Fernando Belluomini, chefe da unidade de emergência pediátrica do HC da Unicamp. O médico alertou que ainda são casos de suspeita, que aguardam resultados de exames. 

“Nesta época, temos outros vírus circulando e vamos insistir com o laboratório para obtermos logo os resultados”, afirmou Belluomini. O Estado de São Paulo tem sofrido com a demora para liberar os resultados dos exames de covid-19. Segundo o secretário estadual da Saúde, há pelo menos 16 mil testes com resultado pendente, sendo que 201 deles se referem a pacientes com suspeita de morte pela doença. 

De acordo com o chefe da emergência, em caso de qualquer confirmação, é preciso haver uma rápida mudança do paciente infectado do local.  Belluomini explicou também que a equipe já recebeu estudos realizados na epidemia da covid-19 na China, que apontam para a maior resistência à doença entre as crianças. “Um estudo deles, que já temos aqui, mostra que em 4 mil crianças contaminadas, houve um óbito”, argumentou. “Já sabemos que esse vírus (novo coronavírus) é menos agressivo com as crianças”, afirmou o médico.

Até esta quarta-feira, 1º, a vítima mais jovem do novo coronavírus no Brasil foi um cozinheiro de 23 anos, no Rio Grande do Norte. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já alertou que, embora idosos estejam no grupo de risco, jovens e crianças também morreram pelo vírus durante a pandemia. Segundo estudos, também há registro de vários casos assintomáticos entre crianças. 

 

​Testes

A partir desta quarta-feira, 01, o Hospital de Clínicas da Unicamp está habilitado para a realização de diagnóstico da Covid-19. A decisão foi publicada hoje no Diário Oficial do Estado de São Paulo, e os testes ainda não começaram a ser realizados.

Conforme divulgado no site da Unicamp, a testagem será realizada inicialmente nos pacientes internados e nos profissionais de saúde, e a expectativa é que depois desta fase a capacidade de realização de diagnósticos seja ampliada.  

"Com isso, estima-se que haja um desafogamento na fila de testes do Instituto Adolfo Lutz (IAL), o laboratório referência no estado para a detecção da doença causada pelo novo coronavírus. O IAL, até a terça-feira, 31 de março, possuía uma fila de 14 mil testes aguardando resultado", diz texto publicado no site.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.