ABr
ABr

Hipertensão e outras doenças crônicas não são doença de rico, alerta ministro

Temporão diz que dificuldade de acesso ao atendimento médico para prevenção agrava problema

Agência Brasil

26 Abril 2010 | 14h27

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta segunda-feira, 26, que as doenças crônicas não atingem apenas ricos, pelo contrário, são bastante "democráticas". Segundo ele, países em desenvolvimento como o Brasil são ainda mais suscetíveis ao problema, por conta da dificuldade de acesso ao atendimento médico para a prevenção.

 

Veja também:

linkQuase 25% da população brasileira sofre de hipertensão, aponta pesquisa

linkDoenças crônicas atingem um em cada três brasileiros 

 

Ele lembrou uma mudança negativa no padrão alimentar dos brasileiros, com destaques para o baixo consumo de frutas e verduras e o alto consumo de carnes gordas, de refrigerantes e de leite integral. Outro problema, segundo Temporão, trata do espaço ocupado pela televisão, pela internet e pelos jogos eletrônicos no lazer da população.

 

"É difícil trabalhar com questões estruturais, com dinâmicas familiares, com a produção de alimentos, com a construção de uma consciência nova", avaliou. "Mas é preciso chamar a atenção porque a hipertensão, dentro das doenças crônicas, tem fatores múltiplos como a genética, a falta de atividade física, o sobrepeso e o estresse", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.