Hipertensão tem cura?

Na maioria das vezes, não. A maior parte das pessoas que têm "pressão alta" apresenta a chamada hipertensão arterial sistêmica primária ou essencial, ou seja, sem uma causa reversível identificada. Uma pequena parcela, entretanto, apresenta hipertensão arterial secundária associada a alguma causa e, nesses casos, há possibilidade de reversão da mesma e, conseqüentemente, de cura. Deve-se desconfiar de hipertensão secundária nos pacientes que desenvolvem a doença muito cedo - antes dos 30 anos - ou muito tarde, naqueles que necessitam de muitos medicamentos para seu controle e também naqueles sem histórico familiar de hipertensão. Além disso, o médico pode identificar anormalidades no exame físico e alterações laboratoriais que indiquem a possibilidade de hipertensão secundária e, a partir daí, prosseguir com a investigação diagnóstica específica. Vale ressaltar que, apesar de não ter cura, a hipertensão arterial sistêmica é uma doença comum e perfeitamente controlável, o que previne muitas de suas graves complicações. O adequado controle da doença envolve uma dieta pobre em sal, a prática regular de atividade física, a cessação do tabagismo, o controle do peso e o uso correto e regular das medicações. *clínica-geral do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.