Reuters/U.S. Library of Congress
Reuters/U.S. Library of Congress

Historiadora acha improvável que tenham encontrado caravela de Colombo

Especialista diz que embarcação foi desmantelada para construção de um forte; descoberta foi anunciada nesta terça-feira por um arqueólogo americano

EFE

14 Maio 2014 | 17h56

A historiadora Consuelo Varela, do Centro Superior de Investigações Científicas(CSIC) da Espanha e especialista em Cristóvão Colombo, considera "improvável, difícil" que os restos achados na costa do Haiti pertençam à nau Santa Maria. A descoberta foi anunciada nesta terça pelo explorador americano Barry Clifford.

"Seria maravilhoso, me encantaria que a descoberta correspondesse com os restos da nau da primeira viagem de Colombo a América", destaca Consuelo, que, entretanto, lembra que o navio daquela primeira viagem foi desmantelado para construir o forte Navidad, onde Colombo deixou 39 de seus homens antes de voltar à Espanha nas duas caravelas.

Cristóvão Colombo deixou relatos de como os índios o ajudaram a desmantelar Santa Maria, segundo Consuelo. Ela destaca que o mais provável é que tenham tirado o máximo do navio, ainda que seja possível que tenham deixado alguma coisa.

"Deve haver muito pouco; o lógico é que tenham pegado toda a artilharia para armar o forte, e toda a madeira que puderam para construí-lo, que aproveitaram toda a madeira possível", destaca a professora.

Segundo as fontes históricas, Santa Maria naufragou a pouca profundidade e dois dias depois de encalhar, "o barco continuava ali e seguiam desmantelando-o", segundo a historiadora.

Descoberta. Referência mundial em arqueologia submarina, o explorador americano Barry Clifford revelou ter encontrado o que seriam restos da caravela Santa Maria, uma das três embarcações utilizadas pelo navegador genovês Cristóvão Colombo (1451-1506) na expedição que entraria para a História pela Descoberta da América.

A carcaça foi encontrada no Mar do Caribe, próximo do Haiti. O jornal britânico The Independent divulgou os resultados da recente expedição de Clifford nesta terça-feira, 13, em sua página na internet. "Todas as evidências geográficas e de topografia subaquática sugerem fortemente que se trata da embarcação de Colombo", afirmou o explorador à publicação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.