Scania
Scania

Hobby vira linha de produção de protetores faciais contra o coronavírus

Com ajuda da Scania, grupo de 16 amigos do ABC paulista trabalham com impressoras 3D

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 17h08

O hobby de um grupo de 16 amigos do ABC paulista participantes da chamada "comunidade maker" - que entre várias atividades utiliza impressoras 3D para inventar novas peças e produtos -, se transformou em uma espécie de fábrica de protetores faciais, usadas por profissionais da saúde para se protegerem da contaminação pelo coronavírus no atendimento a pacientes.

Cada um em suas casas, com sua impressora, mas operando em conjunto, o grupo pretendia produzir 500 máscaras. Promoveu uma 'vaquinha' online e arrecadou R$ 10 mil para comprar matéria-prima e pagar serviços de terceiros, como o de corte de peças a laser.

Ao saber da iniciativa, a fabricante de caminhões Scania, onde a maioria dos participantes do grupo trabalha, passou a apoiar o projeto e cedeu espaço e equipamentos da fábrica de São Bernardo do Campo, onde a montagem final dos protetores passou a ser feita. Também ajudou com insumos e componentes e a meta de produção subiu para 2 mil máscaras.

"Estamos conseguindo fazer em média 150 peças por dia, mas esse número deve aumentar", informa Odair Sardinha, engenheiro da área de pesquisa e desenvolvimento da Scania e idealizador do projeto. "Cada máscara leva em média uma hora para ser feita", conta. Segundo ele, há dia em que a equipe trabalha 12 horas ou mais.

No início do projeto, os responsáveis pela compra de matéria-prima, em especial rolos de filamento para as impressoras, tiveram dificuldades em encontrar o produto, hoje escasso em praticamente todo o mundo por causa da corrida à produção dos equipamentos de proteção contra a covid-19 e de assistência aos infectados.

"Eles precisaram percorrer vários fornecedores e comprar um pouco de cada um", diz Sardinha. Os próprios membros da "comunidade maker" também doaram o que tinham e a Scania forneceu filamentos, usado na produção da tiara da máscara. "Agora temos material suficiente para fazer as 2 mil máscaras, e se precisar mais vamos atrás."

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.