Michael Kooren/Reuters
Michael Kooren/Reuters

Holandeses tentam promover insetos como fonte de proteínas

Universidade lança livro de receitas que têm minhocas, gafanhotos e outros bichos como ingredientes

Reuters

18 de abril de 2012 | 10h27

Precisa de mais proteína no seu dia-a-dia? Coloque minhocas no seu bolo de chocolate ou uma pitada de gafanhotos no seu risoto. O livro holandês The Insect Cookbook (O Livro das Receitas com Insetos, em tradução livre) contém várias receitas pouco comuns no Ocidente e pretende elevar os insetos ao papel de fonte de proteína em nossa dieta.

 

"Vejo isso como o próximo passo para a introdução de insetos nos menus dos restaurantes da Holanda. Também espero que as pessoas comprem o livro e passem a comer insetos em suas casas", disse Marcel Dicke, professor da Universidade de Wageningen, especializada em produção de alimentos.

 

Pesquisas de cientistas da universidade mostraram insetos pode ser uma grande fonte de proteína para as demandas da população crescente. Atualmente, 70% da terra usada para a agricultura serve para a criação de gado. De acordo com Dicke, quando a população mundial chegar a 9 bilhões, em 2050, será difícil fornecer proteína o bastante para todos, porque não haverá terra o bastante para produzir gado.

 

O valor nutricional de insetos é similar ao da carne, e as emissões de gases para a produção desses animais é centenas de vezes menor que a envolvida na produção de porcos, por exemplo. Segundo Dicke, porém, países onde há uma grande incidência no consumo de carne apresentarão maior resistência ao consumo de insetos.

 

Como não são todos que estão habituados à compra e ao preparo de insetos, já há restaurantes que colocaram os bichinhos em seus menus e os oferecem aos interessados. O Specktakel, de Haarlem, perto de Amsterdã, é um deles - tem várias opções, inclusive uma torta de carne com nozes, sementes e minhocas, a sugestão do mês.

 

Mas o chefe do restaurante, Mark Van Kimmenaede, alerta que os insetos não devem se popularizar muito por causa do sabor. "Não vão bem com peixe, por exemplo. É legal ter um ou dois pratos com esses ingredientes, mas não farão muito sucesso", conclui. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.