Homem é internado com suspeita de febre amarela em Goiânia

Neste domingo, ministro da Saúde irá à TV , novamente, negar que haja uma epidemia da doença no País

Solange Spigliatti, do estadao.com.br

13 de janeiro de 2008 | 17h12

Mais uma pessoa foi internada no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia, com suspeita de febre amarela. Segundo informações do hospital, o funcionário público Giovane Alves Borges, de 29 anos, foi internado na sexta-feira, 11, à noite, com fortes dores abdominais, vômito e suspeita de febre amarela.   O paciente já fez exames de raio-X, hemogramas e colheu material para sorologia. Ele permanece internado e o estado dele é considerado regular.       Veja também: Febre amarela pode ter matado fazendeiro espanhol, em Goiás Febre amarela pode ter matado aposentada em Goiás Mosquitos analisados em Brasília não têm vírus da febre Macaco morto em Brasília não tinha febre amarela   Paulistano espera 6 horas por vacina contra febre amarela       O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, deverá fazer um pronunciamento oficial à Nação neste domigngo, 13,  à noite, por volta das 20 horas, em cadeia nacional de televisão, para explicar que o País não passa por uma epidemia de febre amarela. Ele afirmará que está descartada a possibilidade de epidemia de febre amarela no Brasil.   Durante a semana o ministro já havia informado que a situação está sob controle,e não há risco de epidemia. Ele anunciou a liberação pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de dois milhões de doses da vacina contra a doença. Destas, 100 mil chegam neste domingo a Brasília.   Temporão vem alertando que as pessoas que pretendem se deslocar para áreas de risco para a febre amarela devem tomar a vacina que protege contra a doença, num prazo de 10 dias antes da viagem. Esse é o tempo necessário para que o organismo humano adquira anticorpos para se defender do vírus da doença. A vacina é eficaz, dura 10 anos e está disponível em todos os postos de saúde.    

Tudo o que sabemos sobre:
Febre Amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.