Homem é reaceito em concurso após ser eliminado por calvície

Seleção exigia que candidatos tivessem fios de cabelo de pelo menos 3 cm para teste de drogas

BBC Brasil, BBC

24 Junho 2010 | 12h26

Um homem calvo que foi impedido de continuar em um processo de seleção da polícia da Irlanda do Norte por não ter cabelos para um teste de drogas conseguiu derrubar a decisão na Justiça.

Ele já estava em uma das últimas fases do processo de seleção quando esbarrou no obstáculo intransponível: a ausência de fios de cabelo longos o suficiente para o teste, que exigia até três centimetros.

A alternativa - de fornecer 200 pelos do corpo - também não foi possível.

No entanto, depois de apelar ao Supremo Tribunal em Belfast, o homem conseguiu ser reincorporado ao processo de seleção.

O juiz determinou que o homem fosse reintegrado e que os procedimentos da polícia fossem modificados.

O homem, que não pode ser identificado por motivos de segurança, entrou na Justiça após ter sido desclassificado do processo de seleção para policial trainee.

Ele argumentava que a decisão de afastá-lo era "irracional" e "discriminatória".

Os advogados da polícia norte-irlandesa admitiram que a corporação deveria ter oferecido outra alternativa para o teste. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.