James Gathany/CDC/Reuters
James Gathany/CDC/Reuters

Homem morre com suspeita de malária em Catanduva

Vítima viajou ao Congo, país africano onde a doença é endêmica e apresentou febre alta logo depois que retornou ao Brasil

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

30 Janeiro 2017 | 19h16

SOROCABA - Um homem morreu com suspeita de malária, neste domingo, 29, em Catanduva, interior de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Saúde, que investiga o caso, o paciente chegou recentemente de viagem ao Congo, na África, país onde a doença é endêmica. Ele trabalhava para uma empresa multinacional e ficou quatro meses naquele país. Conforme familiares de Carlos Dimas Bissi, de 63 anos, ele começou a apresentar febre alta logo que retornou ao Brasil, há 15 dias, mas inicialmente o caso foi tratado como infecção pelo vírus da dengue.

Bissi passou por uma unidade de pronto-atendimento. Como o estado de saúde piorou, ele foi encaminhado para o Hospital Padre Albino, mas não resistiu. No atestado de óbito, constou que três doenças podem ter causado a morte: dengue, febre amarela e malária. As três doenças são transmitidas pela picada de mosquitos, no caso da malária, a fêmea infectada do Anopheles. A Secretaria informou que aguarda o resultado dos exames do caso que, se confirmado, será considerado importado.

A direção do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de São José do Rio Preto informou que foi notificada sobre o caso, porém, considera precipitado relacionar com a malária, já que pode ser outra doença. A Secretaria Estadual de Saúde informou que, em 2016, foram confirmados sete casos, brandos e autóctones, da doença no Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.