Homens que tomam muitos remédios têm mais risco de impotência

Risco do problema é maior naqueles que tomam três ou mais tipos de medicamentos

Reuters,

09 de dezembro de 2011 | 18h40

 Homens que tomam vários remédios para diferentes problemas podem ter maior risco de disfunção erétil, diz um estudo americano que acompanhou mais de 37 mil voluntários.

Sabe-se que homens com problemas de saúde crônicos como hipertensão, diabetes e colesterol alto são mais propensos a desenvolver impotência. Mas os pesquisadores investigaram 37.700 usuários de um grande plano de saúde da California, nos Estados Unidos, e descobriram que aqueles que tomavam três ou mais remédios tinham mais taxas de disfunção erétil

"Os dados sugerem que algumas características de homens que usam múltiplos remédios podem predispor à impotência", dizem os autores.

Em geral, 16% dos homens que tomavam não mais do que dois remédios registraram disfunção erétil moderada. Entre os que consumiam de três a cinco tipos de medicamentos, 20% tinham o problema. O número subiu para 25% dos que tomavam de seis a nove tipos e para 31% entre os que ingeriam pelo menos dez remédios.

Não surpreende que a disfunção erétil seja mais comum em homens mais velhos, com sobrepeso, fumantes ou que tivessem problemas de saúde como diabetes ou hipertensão. Mas inclusive quando os autores levaram esses dados em conta, p fato de usar vários medicamentos continuou relacionado ao aumento do problema.

Segundo os autores, o achado não diz que os próprios medicamentos são os culpados. "Eles dizem que é possível, por exemplo, que os fármacos possam piorar a disfunção erétil devido a interação medicamentosa - mais não é possível confirmar a informação a partir dos dados da pesquisa.

Os autores enfatizam que os homens com disfunção erétil não devem deixar de usar os remédios, mas que eles podem pedir tratamentos alternativos a seus médicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.