NOEL CELIS/ AFP
NOEL CELIS/ AFP

Hong Kong isola cachorro após teste positivo de coronavírus; infecção ainda não foi confirmada

Autoridades locais disseram ainda não ter evidências suficientes que comprovem se a transmissão pode ocorrer também por animais

Reuters, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2020 | 11h51

HONG KONG - As autoridades de saúde de Hong Kong decidiram isolar um cachorro, que pertencia a um paciente diagnosticado com coronavírus, após testes feitos em suas cavidades nasal e oral terem detectado a presença do vírus no animal. Ele destacaram, no entanto, ainda não ter evidência de que a transmissão possa ocorrer para animais. O cachorrro não tinha nenhum sintoma da doença. 

O Departamento de Agricultura, Pescados e Conservação (AFDC, na sigla em inglês) de Hong Kong disse que vai conduzir novos testes para confirmar se o cachorro foi infectado com o vírus ou se as amostras foram positivas apenas por contaminação pelo ambiente. "No momento, o AFDC ainda não tem evidências de que animais de estimação possam ser infectados ou de que eles possam ser uma fonte de transmissão para pessoas", disse o órgão. 

O cachorro vai ficar em quarentena por duas semanas. A Organização Mundial da Saúde afirma em seu site oficial que ainda não há evidências de que animais de estimação possam ser infectados com o coronavírus. 

Até esta sexta-feira, Hong Kong já havia confirmado 93 casos de infecção do coronavírus, com duas mortes. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.