EFE/Rogerio Santana
EFE/Rogerio Santana

Hospital de Campanha do Maracanã tem funcionários dormindo no chão e depósito irregular

Imagens mostram más condições oferecidas pelo governo do Estado na unidade de saúde

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2020 | 13h17

RIO - Funcionários do Hospital de Campanha do Maracanã, de responsabilidade do governo estadual do Rio, denunciaram más condições de trabalho e até mesmo depósito irregular de material possivelmente contaminado pelo novo coronavírus. Alguns profissionais de enfermagem chegaram a dormir no chão.

Na quinta-feira, imagens gravadas por um funcionário e enviadas à TV Globo mostravam enfermeiros e técnicos em enfermagem descansando em colchões colocados diretamente no piso. Nesta sexta, a emissora mostrou sacos de roupas depositados dentro de uma das bilheterias do estádio. O material pode estar contaminado e fica ao alcance de quem passa pela calçada. Um morador de rua foi flagrado dormindo bem ao lado.

O Hospital de Campanha do Maracanã é de responsabilidade do Estado e gerido pela Organização Social Iabas. Procurada pelo Estado, a Secretaria Estadual de Saúde informou que "após denúncias sobre local inadequado para repouso dos profissionais de saúde do hospital de campanha do Maracanã e vistoria da equipe técnica da pasta, a questão foi solucionada e garantida que não irá se repetir".

De acordo com a SES, "agora o espaço de descanso está à disposição das equipes com 110 leitos. Todas as camas e espaços serão utilizadas por equipe multiprofissional, sem distinção entre médicos e outros profissionais. A SES também exige que, desse total de 110, sejam instalados ar-condicionado para 60 leitos, que ainda não contam com os equipamentos".

A secretaria declarou que realizou vistorias na quinta e nesta sexta-feira, mas não comentou sobre o depósito de roupas. O Iabas, por sua vez, reconhece que está havendo erros neste inicio de operação dos hospitais de campanha e suas correções estão ocorrendo de forma ágil. 

Sobre os pontos, a organização esclareceu, em nota:

1) Há condições iguais de descanso e dormitório para todos os colaboradores, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, pessoal administrativo, etc. As imagens se referem a um treinamento de enfermeiros no Pavilhão B (que ainda não foi aberto) e os dormitórios estavam fechados. Houve um erro de preparação para atender esse tipo de demanda que não se repetirá. A preocupação maior naquele momento foi com o treinamento dos colaboradores. É importante frisar que as imagens não se referem a algo recorrente, foi um problema pontual já contornado.

2) Há local reservado para o descarte adequado ao lixo, conforme as normas e regras de resguardo contra infecção. Infelizmente, houve o descarte equivocado nas bilheterias. Toda a equipe, que já havia passado por treinamento, teve as orientações reforçadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.