Hospital de Niterói recebe dez leitos de unidade de terapia intensiva

Com nova capacidade, local poderá atender a população de Niterói, São Gonçalo e de outros municípios da região metropolitana, que somam cerca de 2 milhões de habitantes

Agência Brasil,

22 de novembro de 2011 | 16h51

O Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), em Niterói, região metropolitana do Rio, ampliou sua capacidade de atendimento ao receber nesta terça, 22, dez leitos de unidade de terapia intensiva (UTI). A finalidade é atender a população de Niterói, São Gonçalo e de outros municípios da região metropolitana, que juntos somam cerca de 2 milhões de habitantes.

A inauguração das novas instalações contou com a participação do governador Sérgio Cabral Filho, do vice-governador, Luiz Fernando Pezão, além dos secretários estaduais de Saúde, Sérgio Côrtes e de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves.

Cabral ressaltou a importância do hospital para a região e anunciou novas obras de ampliação da unidade. O objetivo é oferecer melhor atendimento, além de condições adequadas a funcionários e pacientes.

"O Azevedo Lima é sempre indicado como um hospital organizado, com direção e uma equipe de profissionais de saúde dedicadas. A rede municipal e o [Hospital Universitário] Antonio Pedro fecharam suas emergências, então toda a cidade de Niterói hoje depende desse hospital", destacou.

Referência em neurocirurgia, o hospital conta com 20 leitos de UTI adulto e sete de UTI neonatal. A equipe que trabalhará na nova unidade de terapia intensiva é formada por 14 médicos, 15 enfermeiros, além de técnicos de enfermagem e fisioterapeutas.

O investimento de R$ 897 mil na unidade faz parte do planejamento da secretaria para a ampliação do número de leitos no estado. No segundo semestre de 2011, 40 já foram inaugurados, incluindo os dez entregues nesta terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.