Hospital do Fundão reabre ambulatório, mas continua sem cirurgias eletivas

Serviços foram suspensos por abalo estrutural que atingiu prédio anexo do hospital, vinculado à UFRJ

Agência Brasil

28 Junho 2010 | 18h52

RIO DE JANEIRO - O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o Hospital do Fundão, reabriu nesta segunda-feira, 28, seu ambulatório, depois de o serviço ficar cinco dias fechado.

 

O ambulatório foi interditado por causa de um abalo estrutural que atingiu o prédio anexo do hospital, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

A unidade, que atende a 1.500 pessoas por dia, só ficou aberta até o meio-dia, por causa do jogo do Brasil contra o Chile, às 15h30. A partir desta terça, 29, o hospital funcionará em seu horário normal e alguns exames laboratoriais voltam a ser realizados.

 

As cirurgias eletivas - não emergenciais - continuam suspensas. Segundo a assessoria de imprensa do Hospital do Fundão, ainda não há prazo para retomar esse tipo de serviço.

 

Na última semana, um abalo estrutural no prédio anexo foi provocado pelo comprometimento de pilares do edifício. O prédio, que fica colado ao hospital, é uma obra inacabada e, por isso, não utilizada. Por causa do risco de desabamento, a ala D do hospital foi completamente fechada e os mais de 70 pacientes internados, transferidos para outras áreas.

 

Além disso, a diretoria do hospital resolveu dar alta a 44 internados e suspender temporariamente os atendimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas.

 

Depois do abalo, foi contratada uma empresa de engenharia para reforçar as estruturas comprometidas, com a injeção de concreto novo e a colocação de vigas de aço. O trabalho deve ser concluído até o dia 7 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.