Infográfico Estadão
Infográfico Estadão

Hospital São Paulo inaugura centro para pacientes com suspeita de dengue

Equipamento, em parceria com Secretaria Municipal de Saúde, ajudará a diminuir a sobrecarga no PS do hospital da Unifesp

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2015 | 23h13

O Hospital São Paulo, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), vai inaugurar nesta sexta-feira, 8, um centro para atender pacientes com suspeita de dengue. O equipamento, montado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, ajudará a diminuir a sobrecarga no pronto-socorro do hospital.

O centro fica na Rua Borges Lagoa, 770. Terá capacidade para atender até 200 pacientes diários, de segunda a sábado, das 7 horas às 19 horas.

O local contará com quatro consultórios, 20 leitos para hidratação, 120 poltronas de espera, recepção e uma equipe três clínicos gerais, três enfermeiros e um pediatra.


No centro do Hospital São Paulo, serão atendidas só pacientes encaminhados pela Assistência Médica Ambulatorial (AMA), Unidade Básica de Saúde (UBS) e pelo próprio Hospital São Paulo com o cartão de acompanhamento referente à suspeita de dengue. Quem já tem o cartão pode se dirigir diretamente ao atendimento.

No local, o paciente será classificado pelo grau de risco pelos enfermeiros, por meio de um exame de sangue. Depois, passará por consulta com o clínico geral e levado à hidratação. Casos que demandam cuidados especiais serão direcionados ao hospital.

Crise. A Unifesp espera desafogar o setor de emergência do Hospital São Paulo com o equipamento. Segundo a reitoria, o Pronto-Socorro opera hoje com 150% da sua capacidade. Médicos extras também já foram contratados. "Eles atuam nos horários de pico do hospital, de 17h às 23h30", diz Soraya Smailli, reitora da Unifesp.

O Hospital tem 150 funcionários a menos que o necessário e déficit mensal de R$ 2,5 milhões, como o Estado mostrou em abril. Soraya, porém, nega que haverá redução de atendimentos ou paralisação da expansão do hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.